Rio Branco, Acre,





Terapeuta tântrica multidimensional, Lorena Rossi está no Acre realizando facilitações de “cura”


São trabalhos com meditações para liberar, expandir e fazer circular mais energia por todo o corpo.

LAMLID NOBRE, DO CONTILNET

Facilitar curas a partir de técnicas de realinhamento de chacras, reconexão enérgica entre o feminino e o masculino presentes em cada pessoa, por meio da transmissão de energias de alta vibração que gerem estado de expansão da consciência. Esta é, em suma, a definição do trabalho que a terapeuta tântrica multidimensional Lorena Rossi realiza. Ela está, em Rio Branco, cumprindo agenda de atendimentos individuais e em grupos.

Na última quarta-feira (08), no restaurante La Nonna, foi ministrada uma palestra para cerca de 50 pessoas com o título “Transformação pelo coração”, onde Lorena falou de suas experiências pessoais com objetivo de, segundo ela, proporcionar cura, a partir de sua própria cura.

Terapeuta tântrica, Lorena Rossi, em Rio Branco. /Foto: ContilNet

Acreana, 28 anos de idade, Lorena Rossi é graduada e pós-graduada em Direito com formação e carreira jurídica em Curitiba, para onde mudou-se em 2009. No início de 2016 pediu exoneração do Tribunal de Justiça do Paraná e foi para São Paulo, onde mudou de carreira. Deixou o Direito para tornar-se terapeuta tântrica com formação pelo Centro Metamorfose e Somananda Tantra School – Part of Agama Internacional. Especializada em Renascimento (rebirth) e Terapias Integradas de Respiração (TIR), entre outras. Instrutora de cursos de massagem tântrica, também trabalha com numerologia Kabalistica e grades de cristais.

“Eu ficava trabalhando para um desembargador que só aparecia lá para assinar o que a gente analisava. Me perguntei: quanto tempo e por que vou ficar aqui acabando minha vida e minha juventude?”, disse Lorena revelando que a partir desta reflexão tudo mudou em sua vida. “Eu busco a cura. Eu quero me curar totalmente nessa existência não quero ter que voltar para resolver pendências. Chegar lá, olha para cá e ter que volta: Ah, eu vou ter que voltar por isso? São coisas simples.”, analisou referindo-se a teoria da evolução espiritual a partir da reencarnação.

“Momento único”, palestra reuniu cerca de 50 participantes. /Foto: ContilNet

Na Casa Rosa Mulher

Nesta sexta-feira (10), foi a vez das mulheres usuárias da Casa Rosa Mulher, que são vítimas de violência e aceitaram participar de uma roda de conversa com Lorena Rossi. Ela também trabalha na “cura de registros traumáticos relativos a abusos sexuais”.

De acordo com a gerente do departamento da Mulher, da Secretaria Municipal de Assistência e Direitos Humanos, Lidianne Cabral o trabalho inclui também uma parceria com Prefeitura de Rio Branco para realizar um trabalho de “cuidar de quem cuida com psicólogas e assistentes sociais que atuam no atendimento as mulheres vítimas de violência doméstica e sexual.”, pontuou, acrescentando que “foi um momento muito rico e elas ainda passarão por uma vivência com ela.”.

Roda de conversa com mulheres da Casa Rosa Mulher. / Foto: cedida

Workshop

Com agenda para atendimentos individuais, em Rio Branco, já totalmente preenchida, Lorena Rossi, vai realizar ainda nos próximos dias 18 e 19 de maio, um workshop de massagem tântrica multidimensional.

“Será uma vivência onde realizaremos trabalhos com meditações para liberar, expandir e fazer circular mais energia por todo o corpo.”, detalhou.

Num workshop o terapeuta em Tantra sintoniza-se com o campo energético do grupo proporcionando ou facilitando a abertura de um canal que permita fluir a integração dos aspectos feminino e masculino da vida, proporcionando o que ela define também como libertação.

“A gente cresceu ouvindo que sexo era coisa feia. Mas nós precisamos romper com isso, com o ter vergonha. E equilibrar o homem e a mulher pois não existe homem sem mulher e não existe mulher sem mulher. É ela que gera a vida e precisamos gerar amor pela vida.”, concluiu.

A estada de Lorena Rossi em Rio Branco é uma promoção da Texto&Cia. Informações e inscrições: (68) 998106-6187.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também