Rio Branco, Acre,





Reforma administrativa de Gladson Cameli é aprovada na Assembleia por 23 votos


Estão criadas duas novas secretarias, 450 novos cargos de confiança em todo estado, além de diretorias e outras chefias

TIÃO MAIA, DO CONTILNET

A proposta de reforma administrativa do Governo do Estado em relação à lei aprovada ainda em dezembro de 2018 foi aprovada, na tarde desta terça feira (21), por 23 votos na Assembleia Legislativa. O presidente do Poder, Nicolau Júnior, só votaria em caso de empate. Isso significa a criação de novos cargos comissionados, mais duas secretárias (Ação Social e Assuntos Institucionais) e outras funções que vão significar acréscimo de 37,5% do valor atual dos cargos em comissão, na folha de pagamento.

Tribuna da Aleac/Foto: Reprodução

Isso significa que estão criados, no âmbito do Governo do Estado, 450 CECs (Cargos Comissionados0, 32 chefias de departamentos, 20 diretorias, 10 secretários-adjuntos, seis chefias de departamento, quatro diretorias administrativas duas presidências de entidade modelo 3,  um diretor executivo de entidade modelo 1, um cargo de coordenador do gabinete do vice-governador, um cargo de delegado geral de polícia com status e remuneração de secretário de Estado, alteração de remuneração do representante do Acre em Brasília  e alteração da remuneração dos subchefes do gabinete do governador e militar de R$ 12 mil para R$ 16.

Após os deputados terem votado a favor da reforma por completo, eles se reuniram e fizeram uma cordo nas comissões para votarem contra o artigo 43 do projeto enviado à Aleac pelo governo estadual. Maria Antonia, Meire Serafim, Roberto Duarte Daniel Zen, Edvaldo Magahaões, Jenilson Leite, Jonas Lima e Fagner Calegário foram vencidos pelos parlamantares governistas por 15 votos a favor da proposta.

A aprovação mostrou a união da bancada governista e a boa atuação do novo líder na Assembleia, deputado Luis Thcê (PDT). As novas medidas passam a valer a partir desta quarta-feira (22).

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também