Rio Branco, Acre,





Foto capa

Pimenta no Reino

Valério: “Bocalom vende à Nacional a falsa informação de que vá assumir mandato de federal”


Ainda sobre Bocalom, começam a surgir informações sobre operação de lavagem mensal da quantia de R$ 20 mil

Foto capa POR TIÃO MAIA

“Muy” amigos

A queda de braça dentro do PP pela direção regional, disputada pelo atual presidente, deputado José Bestene, e o novato Rudley Estrela, candidato a deputado federal derrotado no ano passado, não deve ir muito longe e a vitória parece certa para o parlamentar e seu grupo. É que, além de mandato e da experiência como político, Bestene é um velho aliado do governador Gladson Cameli e um de seus principais conselheiros quando ele ainda dava os primeiros passos no sonho de vir a governar o Estado.

Já Rudley Estrela conta apenas com a amizade pessoal com o governador, dos tempos de estudantes em que residiam em Manaus (AM). Mas, em política, as amizades, mesmo as mais velhas, nem sempre prevalecem. Afinal, um partido é muito diferente de um clube de amigos.

Líder forte

Ainda dentro do PP, o deputado Gerlen Diniz parece já ter vencido a queda de braço pela liderança do governo na Assembleia Legislativa. Nos últimos dias, surgiram informações de que o líder poderia cair por causa da insatisfação de alguns colegas da bancada de apoio ao governo. O nome do neogovernista Luís Tchê (PDT) apareceu como alternativa, mas o próprio governador Gladson Cameli veio a público desfazer as especulações e disse que Diniz só deixaria a liderança se quiser. Por enquanto, continua a gozar da confiança do governador.

Telefone

O Senado aprovou na semana passada projeto que garante ao consumidor o direito de receber outro telefone celular enquanto seu aparelho estiver na assistência técnica para conserto. Já passou pelas comissões.

Idosos

Idosos que fazem viagens interestaduais de ônibus gratuitamente podem ter o benefício ampliado. Projeto do senador Confúcio Moura (MDB-RO) estende a gratuidade às tarifas de pedágio e de utilização de terminais.

Sem atenuantes

Também no Senado, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou projeto que elimina do Código Penal os atenuantes para quem comete crimes na faixa etária de 18 a 21 anos de idade.

Indenização às mulheres

Na Câmara, os deputados aprovaram proposta que garante às mulheres vítimas de violência doméstica o direito a indenização por danos morais em um processo mais rápido, sem a necessidade de uma nova fase de provas após o pedido da vítima. A medida segue para o Senado. Pelo texto, o juiz também poderá determinar como medida protetiva que o agressor deposite a quantia em juízo como caução por perdas e danos morais e materiais decorrentes da prática de violência doméstica. A intenção é garantir o pagamento da indenização.

PV vai de Longo

Quem não tem Kinpara, vai de Longo. O pouco caso do ex-reitor Minoru Kinpara aos apelos de vários partidos para que ele seja candidato a prefeito de Rio Branco nas próximas eleições pode lhe custar caro. Procurado por vários partidos, Kinpara não disse sim ou não às propostas de filiações e agora alguns desses partidos, que se sentiram esnobados, hão de lhe virar às costas.

A começar pelo PV, que esperava manifestação positiva do professor e, na falta dela, decidiu não mais esperar e já trabalha o nome do ex-juiz aposentado Pedro Longo. “Esperamos pelo Kinpara, mas diante da indecisão dele vamos com os nossos próprios quadros. O Longo é o nosso nome”, disse a presidente Shirley Torres.

Candidatos a vices

Nos bastidores, mesmo que ainda não tenha se decidido por nenhum partido ou declarado se será ou não candidato, há movimentações em torno de uma possível vice candidatura numa eventual chapa de Minoru Kimpara. Dois nomes se movimentam nesta direção: o eterno-candidato-a-qualquer-coisa Tião Bocalom e o vereador por Rio Branco Emerson Jarude.

Bocalom versus Valério

A propósito de Tião Bocalom, a briga o envolvendo com o presidente do PSL no Estado, o produtor rural Pedro Valério, já chegou em Brasília. Valério denuncia que Bocalom vende ao diretório nacional a falsa informação de que vá assumir uma cadeira de deputado federal nos próximos dias.

Tião Bocalom/Foto: Reprodução

Na verdade, o suplente de deputado federal Tião Bocalom espera pelo desfecho do processo envolvendo o deputado federal Manuel Marcos (PRB), eleito sob suspeição de compra de votos, mas isso não é coisa imediata. “Dizer que vai assumir o mandato nos próximos dias não é verdadeiro”, disse Valério.

Pelo ralo

Ainda sobre Bocalom, começam a surgir informações sobre operação de lavagem mensal da quantia de R$ 20 mil mensais. Eram recursos do Fundo Partidário do DEM, então presidido por ele. Se o ex-assessor Paulo Ximenes continuar a abrir a boca, o discurso de Bocalom de probo e honesto vai pelo ralo.

Thiago Caetano

A propósito de candidatos à prefeitura de Rio Branco, o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, não escondo de ninguém que sonha com o posto. Filiado ao PP, ele seria abençoado pelo governador Gladson Cameli, o qual me disse, no entanto, que ainda não conversou com ninguém sobre o tema.

A propósito de Caetano, ele visitará hoje às obras da ponte do rio Madeira, na quase-divisa do Acre com o Estado de Rondônia. Estará acompanhado de uma reca de jornalistas, incluindo o redator que vos escreve.

Raupp na Lava Jato

Já que a pauta é Rondônia, outra notícia relacionada ao estado vizinho: a investigação contra o senador rondoniense Waldir Raupp e outros políticos do MDB na operação Lava Jato vai ser enviada para Curitiba (PR). O senador havia recorrido ao STF (Supremo Tribunal Federal) para que as denúncias não fossem para o Rio de Janeiro nem para Curitiba mas o entendimento da Procuradoria Geral da República foi de que os fatos investigados estão associados ao esquema de propina pago pela Construtora Odebrecht e devem ser sim investigado tanto no Rio como em Curitiba. Foi este o entendimento do ministro Édson Fachini, do STF.

Grande quadro

O deputado Daniel Zen (PT) divulga, nesta terça-feira (16), às 9 horas, no auditório da Assembleia legislativa, a revista “Acre Que Queremos”, que faz um balanço de seu mandato. Líder do governo no mandato passado, reeleito em outubro deste ano, Zen agora é um dos líderes da oposição e tem demonstrado equilíbrio na nova condição. Zen é um dos grandes quadros da política na atualidade, queiram ou não os membros da bancada governista.

Soldado do governador

O vice-governador Wherles Rocha, sempre que alguém lembra de sua briga para ser candidato e eleito vice-governador do Estado, diz que tinha uma reeleição de deputado federal segura, tranquila. Como prova aponta a votação de sua irmã, deputada Mara Rocha (PSDB), eleita com mais de 50 mil votos. Então, acrescenta, o sacrifício de sair candidato a vice e se tornar o segundo homem na linha sucessória do Estado foi uma forma de ajudar o governador Gladson Cameli a tentar viabilizar o plano de recuperação do Estado. “Estou aqui tão-somente para ajudar”, disse. “Eu sou bom soldado do governador”, afirmou.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários

Outras Notícias