Rio Branco, Acre,





Trabalhadores rurais bloqueiam rua em frente ao Incra para reivindicar assentamento   


As famílias estão sendo ameaçadas por jagunços, segundo ele, a mando dos fazendeiros, e temem que a indefinição do Incra agrave a situação

LAMLID NOBRE, DO CONTILNET

Reivindicando solução para conflito por posse de terra nos seringais Porto Central, Pirapora e Andirá, na região do município de Porto Acre, trabalhadores rurais bloquearam a rua Santa Inês, no bairro Aviário, em frente à sede da Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no Acre, na manhã desta segunda-feira (22).

Bloqueio na manhã desta segunda-feira/Foto: ContilNet

Decididos a somente sair do local com uma resposta do órgão, os trabalhadores, incluindo mulheres e crianças sob gritos de “Queremos nossa terra!”, exigiam a presença do superintendente, Sebastião Silva.

“Há tempos estamos tentando regularizar a nossa terra. Estamos brigando na Justiça e tivemos a garantia do Incra de que iriam vistoriar a área para fazer o assentamento das famílias que tão (sic) lá e até agora não foi resolvido”, disse o posseiro Eliudo Pio da Conceição, 39 anos.

De acordo com ele, são 200 famílias que vivem no local. “Nós que estamos lá trabalhando, produzindo o arroz, o feijão, a macaxeira. É gente que acorda bem cedinho, na hora que o galo canta para colocar comida na mesa de quem vive na cidade”, lembrou.

Bloqueio em frente ao Incra/Foto: ContilNet

Conceição disse ainda que as famílias estão sendo ameaçadas por jagunços, segundo ele, a mando dos fazendeiros, e temem que a indefinição do Incra agrave a situação.  “A nossa briga é justa. Nós sabemos que aquelas terras são da União e é nossa, para nós podermos trabalhar. E só o que a gente quer é poder trabalhar. A gente só quer uma resposta. A gente só quer ser assentado para trabalhar em paz”, concluiu.

A reportagem tentou contato com o Incra pelos números: 3214 – 3023/3054 e as chamadas não foram atendidas.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também