Rio Branco, Acre,





MPF identifica ameaças a lideranças comunitárias em Boca do Acre


Órgão expediu recomendação alertando invasores sobre a possibilidade de processo cível e criminal

EBC

Uma recomendação expedida por procuradores federais tenta impedir novos episódios de constrangimentos, ameaças e cobranças ilegais praticadas contra as lideranças comunitárias da Reserva Extrativista Arapixi, no município de Boca do Acre, no Amazonas.

Três pessoas foram notificadas a alertadas sobre a possibilidade de processo cível e criminal. Elas têm até dez dias para se manifestar sobre a recomendação.

rês pessoas foram notificadas a alertadas sobre a possibilidade de processo cível e criminal/Foto ilustrativa: Odair Leal

A força tarefa do Ministério Público Federal também recebeu relatos de que castanhais situados ao longo dos Igarapés da Reserva Extrativista Arapixi teriam sido invadidos por pessoas que se declaram proprietárias da área. Os invasores teriam derrubado castanhais e cobrado pedágios dos extrativistas.

O Ministério Público Federal ressalta que causar dano a qualquer unidade de conservação é crime e que a invasão de áreas protegidas pode resultar também em condenação ao pagamento de indenização pelos danos causados.

A Reserva Extrativista Arapixi é uma unidade de conservação federal, categorizada como reserva extrativista. Ela foi criada por Decreto Presidencial em junho de 2006 e ocupa uma área de quase 134 mil hectares.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também