Rio Branco, Acre,





Mais de 2 mil pessoas foram presas em três mêses no Acre, apontam dados do MPAC


Em 100 dias, a Segurança realizou investimentos, reduziu crimes e deflagrou mais de 2 mil operações no Estado

LÍLIA CAMARGO, SEJUSP

Os primeiros 100 dias do ano foram intensos e de muito trabalho para as instituições que integram a Segurança Pública do Estado do Acre. Mais de duas mil operações foram deflagradas, mandados de prisão cumpridos, bens recuperados e armas tiradas de circulação. O impacto foi sentido diretamente nos índices que medem a violência.

Os crimes contra a vida reduziram 25,7% e os crimes contra o patrimônio diminuíram em 23,1%. Os dados foram computados e divulgados pelo Ministério Público do Acre, ao findar o mês de março deste ano.

Em um balanço geral das ações realizadas pela Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), só nesses três meses foram entregues mais de 50 veículos e equipamentos às polícias. Também foi implantado um regime disciplinar com rotinas mais rígidas nos presídios e iniciada a digitalização dos rádios comunicadores da Polícia Militar na capital. O Botão da Vida foi inaugurado com patrulhamento exclusivo aos crimes contra a mulher, além das parcerias para a promoção da Segurança Pública com prefeitos do estado. Neste período foi finalizada a implantação da tecnologia de combate aos furtos e roubos de veículos em Rio Branco, o Cerco Eletrônico.

Prisões e apreensões na capital acreana/Foto: Reprodução

Na Polícia Militar, de janeiro à março, entre flagrantes, mandados cumpridos e apreensão de menores, 2.813 pessoas foram presas. Trezentos e nove veículos foram recuperados, 266 armas de fogo tiradas de circulação e realizados mais de 11 mil autos de infração de trânsito.

Pela Polícia Civil, foram cumpridos 390 mandados de prisão, outros 73 mandados de busca, apreendidos mais de 70 quilos de material entorpecente e 64 armas de fogo. Inquéritos finalizados e remetidos ao Poder Judiciário chegaram a 1,5 mil.

No Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), as atividades se concentraram nas mais diversas áreas que envolvem o cumprimento da pena imposta aos apenados. Ampliação na oferta de trabalho, colocando-os à disposição para serviços gerais prestados ao governo em parceria com outras secretarias e qualificação profissional. Além disso, houve a manutenção do serviço interno e laboral nas unidades, revistas deflagradas todas as semanas e endurecimento do sistema disciplinar com rotinas diárias e momentos cívicos.

O Instituto Sócio Educativo (ISE), focou as atividades nas ações ressocializadoras. Cinco projetos estão em pleno funcionamento dentro das unidades envolvendo música, esporte, assistência religiosa, trabalho laboral e cursos profissionalizantes. As revistas também acontecem com rotinas e garantida a manutenção das atividades escolares com roda de conversa tratando sempre as relações interpessoais. No total são 551 socioeducandos distribuídos em oito unidades no estado e mais 176 na semiliberdade.

Entre as instituições que integram a segurança pública está o Corpo de Bombeiros Militar, que nos últimos três meses, atendeu a 1.576 ocorrências de busca e salvamento, 750 chamados para resgate de animais, 107 ocorrências de incêndio à identificações, a 6. 293 chamados técnicos e outras 490 atividades comunitárias. Na parte social há 900 crianças sendo atendidas pelo projeto “Bombeiro Mirim” e outras 3.600 pessoas de todas as idades participando de aulas de natação no Colégio Armando Nogueira.

Por último, não menos importante, o Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) entra no relatório de ações da segurança, trazendo consigo a parceria firmada entre a Secretaria de Saúde (Sesacre) e Secretaria de Planejamento (Seplan). A parceria possibilita o resgate e transporte aéreo de pessoas em situação de emergência, além do reforço e ajuda em casos de crimes ambientais. Um avião foi adquirido pelo centro e deverá fazer parte destas mesmas ações quando estiver em pleno funcionamento.

O resultado apresentado nesses primeiros 100 dias, retratam o processo inicial de integração das instituições que compõem a segurança pública. “Eles ainda estão aquém do que a sociedade espera. Contudo, são frutos efetivos do empenho de todos que acreditaram no projeto, contribuíram e alcançaram resultados que para o sistema é bom, mas com a nova implementação das ferramentas de gestão, principalmente aquelas destinadas a resultados, através da regionalização e integração dos órgãos da segurança na tomada de decisões com o Poder Judiciário e Ministério Público, veremos resultados que serão alcançados até o final deste ano”, avalia o Secretário Estadual de Segurança, Coronel Paulo Cézar Rocha dos Santos. Ele ressalta o empenho dos profissionais. “Mesmo diante das dificuldades que temos, com falta de efetivo e de estrutura, eles possibilitaram a redução de todos os indicadores da violência e de crimes contra o patrimônio”.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também