Rio Branco, Acre,





Jenilson Leite e presidente da CMP negam ter bancado “manifestantes pró CPI” nas galerias da Aleac


O parlamentar acrescentou que não pode se calar diante dos abusos praticados contra a população acreana

SAIMO MARTINS, DO CONTILNET

O deputado estadual Jenilson Leite, juntamente com a presidente da Central dos Movimentos Populares do Acre (CMP), Raimunda Dias, procurou a reportagem do ContilNet para se defender acerca de uma denúncia veiculada pelo portal na última terça-feira (16). Segundo Leite, as denúncias de uma manifestante alegando que os parlamentares de oposição teria dado dinheiro e combustível são inverídicas.

De acordo com o vice-presidente da Casa do Povo, “a matéria atende apenas aos interesses dos que são contrário a CPI e a população acreana que clama pela redução no preço da taxa de energia, uma vez que a CPI é uma ferramenta importante para apontar os caminhos necessário nessa luta contra o preço abusivo cobrado pela empresa Energisa”, explicou.

Jenilson Leite nega acusações de financiar manifestações pró CPI/Foto: Ascom

O parlamentar acrescentou que não pode se calar diante dos abusos praticados contra a população acreana. Já Raimunda Dias, afirmou que os movimentos sociais estiveram na ALEAC de livre e espontânea vontade. “Acreditamos que a CPI é capaz de apontar a direção a ser tomada contra os preços abusivo da taxa de energia e a cobrança do ICMS”, justificou.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA:

Direito de resposta: A mentira só prevalece na ausência da verdade

O deputado estadual Jenilson Leite, vice-presidente da ALEAC, junto com a presidente da Central dos Movimentos Populares do Acre (CMP), Raimunda Dias, vem por meio desta nota refutar a matéria do site Contilnet com o título: Deputados são acusados de bancar “manifestantes pró CPI” com dinheiro, carros e combustível.

Segundo a matéria, o montante pago para os líderes de movimentos sociais vir à ALEAC seria de 200 a 500 reais. O que não é verdade. Pois , a matéria atende apenas aos interesses dos que são contrário a CPI e a população acreana que clama pela redução no preço da taxa de energia, uma vez que a CPI é uma ferramenta importante para apontar os caminhos necessário nessa luta contra o preço abusivo cobrado pela empresa Energisa.

A matéria está repleta de inverdade e, apenas colabora para espalhar inverdade, manchando a imagem dos mencionados.

O portal além de espalhar uma mentira, sequer ouviu as partes citadas, ou seja, ouvindo somente o que lhe convém escrever, contrariando a ética e a conduta do bom jornalismo. O site está defendendo o interesse de quem?

Eu, enquanto deputado e fiscal do povo acreano , não posso me silenciar diante dessa opressão que é pagar a energia mais cara do país, cuja qualidade do serviço é de péssima qualidade. Vamos continuar lutando para implantar a CPI e defender o consumidor acreano. Doa a quem doer. Quantos as inverdades plantadas contra os inimigos do povo, elas serão combatidas com a verdade.

Eu, Raimunda Dias, afirmou que os movimentos sociais estiveram na ALEAC de livre e espontânea vontade, pois acreditamos que a CPI é capaz de apontar a direção a ser tomada contra os preços abusivo da taxa de energia e a cobrança do ICMS. Quanto a acusação que recebemos dinheiro, ela terá que ser provada na justiça.

Defendemos a liberdade de expressão e de imprensa, pois são elementos essenciais para o bem comum da sociedade, mas fazer jornalismo não é criar factóides.

Vamos seguir lutando contra o que achamos que está errado, uma vez que mais de oito mil acreanos creditaram seu voto no nosso projeto, e não podemos desapontá-los .

Deputado estadual Jenilson Leite

Raimunda Dias – presidente da Central dos Movimentos Populares do Acre

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também