Rio Branco, Acre,





Gladson visita Hospital do Amor em Barretos e estuda modelo de gestão


Governador admite que seu governo busca um modelo e experiências que ajudem a mudar o sistema de saúde do Acre

TIÃO MAIA, DO CONTILNET

Conhecido como o hospital do amor, o Hospital de Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, uma referência nacional no tratamento da doença mais devastadora da história da humanidade, foi visitado, na tarde desta segunda-feira (15), pelo governador do Acre, Gladson Cameli. Acompanhado do secretário de saúde, Alysson Bestene, e de outros assessores, como o representante do governo do Acre em Brasília, Ricardo França, o governador acreano atendeu convite do presidente da entidade, Henrique Prata, e conheceu instalações do hospital e a estrutura administrativa do complexo.

Gladson Cameli afirmou que seu governo busca uma forma de gestão na área hospitalar e do sistema de saúde que possa ser aplicada no Acre. “Poderemos daqui tirar exemplos para que a saúde do nosso Estado também passe a ser aplicada sob novos parâmetros, e sob uma nova mentalidade de prestação de serviços à comunidade”, disse Gladson Cameli. “Se tivermos profissionais envolvidos e comprometidos com a qualidade no atendimento da saúde, teremos condições de, em breve, mudar o quadro que temos no Acre”, acrescentou.

O Hospital de Barretos é mantido em 100% pelo SUS, (Sistema Único de Saúde). Dispõe de mais de 400 médicos e atende 500 novos casos por ano. Ali, as chances de cura do câncer são altas se a doença for diagnosticada no início. Milhares de pessoas do Brasil todo já passaram e passam por lá.

O Acre já conta com uma unidade do Hospital do Amor, em Rio Branco, inaugurado em 2018, após investimentos da ordem de R$ 31 milhões para sua construção. Os recursos vieram do Ministério Público do Trabalho, que cedeu o montante vindo de precatórios pagos pelo Estado resultado de processos dos anos 90.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também