Rio Branco, Acre,





Emoção marca casamento de acadêmico de veterinária tetraplégico com biomédica


Natan sofreu o acidente, em agosto de 2016, ao dar um salto em um balneário, em Sena Madureira

LAMLID NOBRE, DO CONTILNET

Uma história digna de best seller. O casamento entre os jovens Natan Pinheiro, de 25 anos, e Gabriely Chaves, de 22, ocorrido em pleno Sábado de Aleluia (20), na Chácara Pinheiro, poderia ser somente mais uma história de amor com final feliz, porém, algo a mais faz toda a diferença neste caso: a superação.

O casamento ocorreu no último sábado/Foto: ContilNet

Natan conquistou sua amada e a levou ao altar numa situação incomum. Sendo tetraplégico, o acadêmico de Medicina Veterinária na Universidade Federal do Acre (Ufac), relata que conheceu a biomédica quatro anos antes do acidente que mudaria sua vida, mas que o namoro só aconteceu depois do ocorrido.

“Eu era aluno da mãe dela e às vezes ela ia visitar a mãe na escola e eu já dava umas olhadas (risos). Outras vezes, eu ía na casa da professora (mãe dela) tirar dúvidas, via ela lá (sic) e sempre me chamava atenção. Mas somente depois do acidente que nos aproximamos de verdade e começamos a namorar e desde então só aumentou o sentimento. Depois de um ano, ficamos noivos e agora realizamos o grande sonho: o casamento, que foi perfeito.”, diz emocionado.

Comoção marcou o momento/Foto: ContilNet

Natan sofreu o acidente, em agosto de 2016, ao dar um salto em um balneário, em Sena Madureira.“Quando fui encontrado no açude, estava com fratura e lesão medular nível C5. Consequentemente diagnosticado como tetraplégico, ou seja, havia perdido todos os movimentos e sensibilidade do pescoço para baixo. Mas já recuperei boa parte dos movimentos e toda a sensibilidade.”, comemora.

Na presença de familiares e amigos, o enlace matrimonial dos jovens aconteceu sob contagiante emoção, cercado de carinho e votos de felicidades. Detalhes como o topo do bolo com os bonequinhos dos noivos, sendo o dele em cadeira de rodas, chamaram a atenção. A inscrição “Amor pra todo lado” na placa de boas-vindas dava o tom do que significava aquela tarde.

“Ela sempre foi incrível comigo, sempre me ajuda e me incentiva, seja na vida acadêmica, na minha recuperação ou em qualquer outro objetivo e eu sempre busco fazer o mesmo com ela. Apoio todos os seus sonhos e projetos e peço a Deus que nos ajude a realiza-los.”, destacou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também