Rio Branco, Acre,





Considerada a “mais mortal do mundo”, ave gigante ataca e mata criador nos EUA


Marvin Hajos, de 75 anos, caiu no quintal e não conseguiu se levantar; ele chegou a chamar a polícia mas acabou morto ao ser atacado pelo pássaro

IG

Um homem de 75 foi encontrado morto em seu próprio quintal na cidade Gainesville, Florida, nos Estados Unidos após ser atacado por uma ave. Marvin Hajos, de 75 anos, era criador de uma espécie chamada casuar, que são pássaros gigantes e que não conseguem voar, semelhantes a emus e avestruzes.

De acordo com o tenente Joshua Crews, da delegacia do condado de Alachua, que é responsável pelo caso, o homem chegou a ligar para a emergência duas vezes. O idoso caiu no quintal e não conseguia se levantar. Um pouco mais tarde, uma outra pessoa também ligou para 911 para reportar um incidente envolvendo uma ave de grande porte.

Homem que criava casuares foi atacado por uma ave após cair no próprio quintal/Foto: Reprodução

Quando chegaram à residência, no entanto, os policiais encontraram o homem gravemente ferido. Ele foi socorrido para um hospital local, mas não resistiu aos ferimentos causados pelo casuar .

Ainda segundo o tenente Crews, a morte está sendo tratada como um acidente pelas autoridades. Hajos era criador das aves e tinha licença do estado para exercer a compra e venda dos animais.

O casuar é uma ave de grande porte, que pode chegar a até 1,5 metro de altura. Eles ainda conseguuem correr em uma velocidade de 50 km/h e têm a capacidade de saltar mais de 2 metros no ar, apesar de não conseguirem voar. Os pássaros podem chegar a pesar até 72 kg.

O casuar é considerado a ” ave mais mortal do mundo”. Cada uma das garras do animal é afiada como uma adaga e pode ter até 10 cm. De acordo com pesquisadores do zoológico de São Diego, os casuares conseguem rasgar a pele de qualquer predador com um único chute.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também