Rio Branco, Acre,





Cinco crianças indígenas são encontras após três dias perdidas em floresta de Cruzeiro do Sul


As crianças são da etnia Katukina e desapareceram na última sexta-feira (12) após saírem para pescar em igarapé próximo a aldeia Samaúma onde residem

CARINA MENEZES, DO CONTILNET

Cinco crianças indígenas que estavam desaparecidas desde a última sexta-feira (12) foram encontradas na tarde desta segunda-feira (15) após três dias perdidas em uma floresta de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

Familiares das crianças vão ao encontro delas em hospital de Cruzeiro do Sul/Foto: Mazinho Rogério/G1

As crianças são da etnia Katukina e desapareceram após saírem para pescar em igarapé próximo a aldeia Samaúma onde residem, localizada na BR-364. Equipes de buscas procurava pelo grupo em uma área de mata próximo ao local onde eles pescavam, desde o dia do desaparecimento.

Após caminharem até a BR-364 e pedirem ajuda, os indígenas, dois meninos de 10 e 12 anos e três meninas de 8, 9 e 10 anos, foram localizadas e em seguida levados para o Hospital do Juruá.

Caso semelhante em Marechal Thaumaturgo

Outras quatro crianças indígenas, da etnia Ashaninka, estão desaparecidas desde a última terça-feira (9) após deixarem a aldeia Apiwtxa, em Marechal Thaumaturgo na fronteira com o Peru.

A polícia peruana intensificou as buscas no sábado (13) para procurar pelo grupo que tem idades entre 5 e 14 anos.

Segundo o Ministério do Interior do Peru, cerca de 15 policiais, especialistas em busca e resgate de pessoas, estão trabalhando com o apoio de um helicóptero para localizar as crianças que são da comunidade Saweto, localizada na cabeceira do rio Tamaya, na região de Ucayali.

Uma equipe do Comando de Fronteira Juruá, do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (61º BIS), também foi solicitada para a ajudar nas buscas pelas crianças.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também