Rio Branco, Acre,





Praga de Javalis pode alcançar o Acre e especialista alerta governador


Sawaeda quer informar ao governador Gladson Cameli (Progressistas) o risco que seria deixar esses animais chegar ao campo acreano

BLOG DO EVANDRO CORDEIRO

O Acre vai precisar se proteger, em breve, de uma praga que inferniza o Brasil agrícola, principalmente no corredor entre o Rio Grande e Rondônia, os javalis selvagens. Conhecidos como javaporcos, por serem resultado de um cruzamento do javali europeu com o porco doméstico aqui no Brasil, esses animais se reproduziram aos milhares principalmente no interior de São Paulo e estão chegando perto Acre. O alerta é do engenheiro florestal Ernesto Massyuki Sawaeda, especialista em fauna, que mora aqui no Estado. Ele disse ao Blog do Evandro Cordeiro que o alerta precisa ser feito porque o novo governo pensa em investir alto no agronegócio. “Caso esses animais cruzem o rio Madeira qualquer produção de grãos aqui estará comprometida”, afirma.

O javali selvagem é também chamado de Porco Javali/Foto: Reprodução

A contenção da “praga” de javaporco no interior de São Paulo só aconteceu graças a um alerta dessa mesma natureza feita pelo engenheiro Ernesto Sawaeda. Há reportagens nesse sentido em grandes jornais, inclusive na Folha de São Paulo, além de canais de televisões, como a Rede Globo, há cerca de uma década, como essa a seguir:

Javaporco destrói plantações e vira praga no interior de SP

Os grandes produtores rurais da região centro-oeste contra atacaram os animais, mas mesmo assim ainda não se livraram totalmente. Sawaeda quer informar ao governador Gladson Cameli (Progressistas) o risco que seria deixar esses animais chegar ao campo acreano. “Um bando deles devasta, por dia, 40 hectares de plantação sem muita dificuldade”, assegura.

A primeira pesquisa sobre os Javalis e seus híbridos no Brasil aconteceu no Ano de 1998, sob a responsabilidade do engenheiro Ernesto Sawaeda. Em 2011 saiu o primeiro alerta ao agronegócio através de reportagens. Ele avisou que infestação dessa praga seria incontrolável, caso medidas não fossem tomadas. Atualmente se encontra em estágio de reprodução exponencial. Segundo órgãos de proteção à vida selvagem, o Brasil é signatário de um acordo cujo objetivo é evitar esse desastre ecológico. “Sem o controle vai acarretar prejuízos irreversíveis na fauna, flora, pecuária, agricultura e a todo o agronegócio. E pior: em todo território nacional”, diz o especialista.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também