Rio Branco, Acre,





Imac garante agilidade em licenciamento para suinocultura


No caso da suinocultura, ainda vai de encontro ao programa do governo do Estado de incentivo ao agronegócio

ASCOM

A Cooperativa de Suinocultores do Alto Acre (Capixaba, Xapuri, Brasileia e Assis Brasil) terá sua reivindicação de agilidade no processo de licenciamento da atividade produtiva atendida pelo Governo do Estado. Para tanto, as vistorias nas propriedades dos produtores serão iniciadas pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) logo após o carnaval.

O compromisso de agilizar todo o processo, para chegar ao licenciamento o mais depressa possível, foi firmado durante reunião realizada esta semana, entre o diretor presidente do Imac, André Hassem, e os 29 produtores do Ramal da Piçarreira/Brasileia.

Se devidamente licenciada, obedecendo a todas as normas sanitárias e ambientais em conformidade com a lei, a suinocultura pode receber cada vez mais incentivos em linhas de créditos e demais incrementos produtivos.

/Foto: Ascom

A reunião realizada na região estratégica, onde concentra a maioria das propriedades rurais dos produtores, está dentro da visão de trabalho do governo Gladson Cameli, que é tornar as ações da máquina pública cada vez mais acessíveis aos cidadãos, bem como a desburocratização em todos os segmentos.

No caso da suinocultura, ainda vai de encontro ao programa do governo do Estado de incentivo ao agronegócio. Juntos, os produtores cooperados do Alto Acre, são responsáveis pela maior fatia do mercado, no que se refere à carne suína e derivados colocados na mesa dos consumidores acreanos, por meio da indústria Dom Porquito.

Começo animador

O produtor Cícero Tenório é um dos cooperados que fazem parte da plataforma produtiva do Dom Porquito e, tem na atividade, a principal fonte de renda familiar.

Tenório viu com entusiasmo esse primeiro contato com o órgão fiscalizador se mostrando acessível, disponível pra agilizar a regulamentação e otimizar um segmento produtivo que estava praticamente parado nos últimos três anos.

“Entraves com o licenciamento nos impedia de produzir mais, de crescer. Já sonho comum novo momento”, comemorou o produtor.

O presidente do Imac, André Hassem, garantiu que haverá agilidade no processo, que inicia nas vistorias feitas nas propriedades, orientações de adequação pra estar de acordo com a legislação ambiental, até a expedição do licenciamento.

“Agilizar e desburocratizar significa fazermos a nossa parte, enquanto governo, para termos uma cadeia produtiva autossuficiente, capaz de fomentar a geração de emprego e renda no campo”, enumerou Hassem.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também