Rio Branco, Acre,





“Marcus Alexandre não é vítima, mas promotor de ataques a adversários”, diz advogado


Outro fato lembrado pelo advogado foram os ataques às desembargadoras Cezarinete Angelim, presidente do Tribunal de Justiça, e Denise Bonfim, vice-presidente

JORGE NATAL, PARA A CONTILNET

Depois de ingressar com uma ação contra o militante petista Ramon Aquim, que atacou a honra da deputada Eliane Sinhasique (PMDB) com grande repercussão nas redes sociais, o advogado Roberto Duarte contestou a nota do prefeito Marcus Alexandre (PT), na qual também se coloca como suposta vítima.

bocalom e marcus

Programa de Marcus Alexandre acusou Bocalom de ter espancado um deficiente, diz advogado

Para Duarte, o prefeito e toda a cúpula petista no Acre promovem ataques sistemáticos e ordenados a seus adversários. “Ele não é vítima, mas algoz da máquina petista de promover ataques para tentar destruir reputações de pessoas do bem”, declarou.

Duarte citou as eleições de 2012, quando, no último programa eleitoral do então candidato a prefeito Marcus Alexandre, foram veiculados depoimentos acusando o então candidato Tião Bocalom (DEM) de espancar um deficiente físico no município de Acrelândia.

“Para ganhar as eleições, ele, de forma vil e covarde, achincalhou a moral e a honra do Bocalom”, disse.

A afirmação do advogado se baseia na decisão da juíza Maria Rosinete dos Reis Silva, que, em 2014, inocentou Bocalom e condenou por danos morais os senhores José Brandão Maia e José Aparecido dos Santos. “Tanto as testemunhas apresentadas pela parte reclamante quanto a única testemunha apresentada pela reclamada afirmaram que não houve agressão por parte do reclamante em relação ao reclamado”, descreveu em sua sentença a juíza.

Ainda de acordo com a sentença, prosseguiu Duarte, o suposto caso ocorreu em 1996, vindo o reclamado José Aparecido dos Santos apresentar os fatos na imprensa somente no ano de 2012, por ocasião das eleições, em vídeo gravado por meio de propaganda eleitoral partidária, não existindo, sequer, registro de boletim de ocorrência dos fatos à época.

 

Outro fato lembrado pelo advogado foram os ataques às desembargadoras Cezarinete Angelim, presidente do Tribunal de Justiça, e Denise Bonfim, vice-presidente, que, por ocasião da Operação G-7, foram chamadas de “amarguradas e mal-resolvidas” pelo ex-senador petista Aníbal Diniz.

“Quero abrir os olhos da população para que fique claro que os ataques contra a deputada Eliane Sinhasique não são um fato isolado, conforme o prefeito e o vereador petistas querem passar para a opinião pública. Trata-se de uma prática corriqueira”, finalizou Duarte.

O advogado também repudia a “nota de solidariedade” do presidente municipal do PT, vereador Gabriel Forneck. “Estão querendo posar de vítimas, mas isso é uma prática corriqueira, ou seja, macular a imagem de pessoas de bem, usando, de forma mentirosa e rasteira, depoimentos falsos.”

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também